Partidos em Ribeirão são desiguais em gênero, raça e escolaridade

Reportagem: Cristiano Pavini

Os partidos em Ribeirão Preto apresentam perfis diferentes e desiguais nas composições das chapas para vereador. O levantamento foi feito pelo Farolete com base nas 574 candidaturas registradas em 23 partidos, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral acessados nesta segunda-feira (5/10).

De modo geral, as mulheres são subrepresentadas em quase todas as legendas, com exceção da Rede. Todas as demais se aproximam da proporção de três candidaturas femininas a cada sete masculinas, de olho na lei eleitoral que exige 30% de cota para cada gênero.

O Novo tem o maior percentual de candidatos com diploma universitário, mas é, ao lado do PSL, o que tem maior concentração de brancos em detrimento de negros.

Conheça abaixo o perfil de cada partido referente a escolaridade, gênero e raça. O PCB foi excluído dos gráficos por ter apenas uma candidatura (homem, pardo e com Ensino Superior).


Escolaridade

Dos 14 candidatos do Novo, 13 possuem diploma universitário e 1 Ensino Superior Incompleto. É o único partido em que todos os candidatos ingressaram na faculdade. Na outra ponta está o PC do B: apenas uma de suas nove candidaturas possui graduação. Conheça, abaixo, o perfil de cada partido (os infográficos podem demorar para carregar em conexões 4G).


Raça

Tanto o Novo quanto o PSL têm 86% de sua chapa de vereadores constituída por candidaturas brancas. São os partidos com maior concentração de brancos na disputa em Ribeirão. Apenas apenas 14% de seus candidatos são negros (soma de pretos e pardos).

De acordo com o Censo 2010 do IBGE, 29% da população ribeirão-pretana é negra. Em nove partidos, menos de 25% dos candidatos são pretos ou pardos. Ou seja: estão subrepresentados.

A menor proporção está no Solidariedade: apenas 8% são negros. Entretanto, 31% de seus candidatos não declararam raça.

o PROS é o único partido com maioria negra. Em seguida vem o PT, com praticamente metade de suas candidaturas formadas por negros.


Gênero

De acordo com dados de agosto do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), 54% dos eleitores em Ribeirão Preto são mulheres. Entretanto, em nenhum partido elas representam a maioria das candidaturas.

A Rede é o único partido em que há, ao menos, igualdade: são 4 candidatas, que representam metade da chapa.

Depois estão PL, Republicanos e Novo, em que elas são 36% do total. Os demais partidos ficam próximos a 30%, que é o mínimo exigido pela lei eleitoral. Como nem todas as candidaturas podem estar computadas nos dados do TSE, em razão de atrasos no registro ou problemas na documentação, ainda não há como saber se algum partido descumpriu a quota na cidade.

Segundo Luiz Eugenio Scarpino Junior, advogado especializado em Direito Eleitoral, o partido corre o risco de ter toda a chapa indeferida pela Justiça Eleitoral se  descumprir o percentual mínimo de 30% pra um dos gêneros.  


Ajude o Farolete!

Gostou da reportagem? Então faça parte do movimento para viabilizar outras, fortalecendo o jornalismo local independente! Estamos com uma campanha de financiamento coletivo no Catarse. Com a partir de R$ 10 mensais, você nos ajuda a estruturar o site! Clique aqui e acesse.



Gostou da reportagem?

Então compartilhe em suas redes sociais:

Também curta a página do Farolete no Facebook clicando AQUI e entre em nosso grupo de WhatsApp AQUI